A força dos pais na formação dos filhos

Não é de hoje que falamos aqui sobre o exemplo dos pais para as crianças né? Mas o post de hoje é sobre a força dos pais na formação dos filhos.

Embora seja algo que a gente imagine, ainda que não conscientemente, as falas e atitudes do pai e da mãe, desde muito cedo, tem impacto gigantesco na construção da identidade dessas crianças. Esse impacto pode ser positivo ou negativo, conforme a condução dos pais.

força dos pais

Quando a criança desenvolve algum medo é possível dizer que ele foi APRENDIDO… Quem aí nunca falou do lobo mau, do homem do saco ou do simples fechar a janela do carro? O medo de altura é o único com traço genético, os demais são criados/desenvolvidos durante seu amadurecimento.

Quem se arrisca mais tem mais medo, e pode desenvolver mais transtornos emocionais. Se você não ensinar seu filho a gerir suas emoções desde pequeno ele poderá perder o controle com mais frequência e, pior, ficar encarcerado em suas emoções.

É um dado conhecido que a formação do ser humano se dá até os 7 anos. O que ninguém fala é que podemos (e devemos), mesmo depois dessa idade, ensinar nossos filhos a lidar com a enxurrada de emoções pelas quais eles passarão ao longo da vida.

É fundamental explicar para uma criança que não se deve puxar o rabo do cachorro, assim como não se deve ultrapassar o limite autorizado do corpo do outro. Percebe? Estamos falando de momentos distintos na vida de uma pessoa, mas que requer formação, informação, intervenção.

força dos pais

A força dos pais

Quando não gerimos nossas emoções (e não ensinamos essa gestão aos nossos filhos) podemos ir de um oposto a outro em segundos simplesmente porque agimos antes de pensar. O exercício é tentar pensar por 30 segundos antes de agir. No começo pode parecer difícil mas depois torna-se automático.

Não estou dizendo para sermos pessoas contidas…. pessoas que não falam de seus dramas ou derrotas, ou que não choram são os chamados miseráveis emocionais. E os pais devem cuidar das emoções dos filhos, mostrar a eles que é preciso sim chorar, sofrer, sorrir etc para aprender a lidar com todas as emoções que podemos ter.

Pais generosos e experientes formam seres humanos mais incríveis.

As escola hoje estão muito preocupadas com o ensino cartesiano (AINDA!). Mas não ajuda no desenvolvimento das emoções. Poucas são as escolas que fazem isso… a dos meus faz, com diversos recursos adotados em paralelo ao método formal de ensino. UFA!

Precisamos, como pais, atuar em paralelo com a escola. A educação formal está lá, mas os ensinamentos da vida, de como ser um indivíduo melhor, deve ter sua base em casa.

Quando elogiamos um filho estamos alegrando o seu dia, mas se o criticamos podemos estragar sua semana ou criar fantasmas emocionais para uma vida inteira. Está aí a força dos pais, é preciso saber lidar com isso.

O amor entre pais e filhos (ou em qualquer outra relação) será eterno enquanto houver gestão da emoção.

Ser feliz é se reinventar TODOS os dias. Criar um filho feliz (e consciente de suas emoções) também. Estamos preparados para isso?

Beijos
Lele

Todas essas reflexões vieram a partir de uma palestra do Augusto Cury que assisti recentemente. Ele indicou ainda alguns livros que estou lendo desde então e devo indicá-los em breve aqui.

Tags: ,

14 comentários em "A força dos pais na formação dos filhos"

  1. Acredito que não há uma idade exata para se parar de trabalhar as emoções, dos sete pra todo sempre rs emoções mudam muito rápido e quando temos um apoio a vida e lidar com isso fica muito melhor! Aqui em casa tentamos fazer isso da melhor maneira possível! E aos pouquinhos chegamos lá! Ótimo assunto, gostei muito ☺

  2. Tatiana disse:

    Muito bom , Lelê, para refletirmos em nossos papéis. Vc deixou uma pulguinha por aqui. Bjs

  3. melissa disse:

    Sim, somos muito importantes, somos referência, somos modelo, somos exemplos e nossas palavras fazem total diferença!! Ótima reflexão!
    Bjs

  4. Camila disse:

    Ótimo texto. Para a gente parar, pensar, refletir!
    Somos exemplos e nosso papel é super importante.
    Beijos,

  5. Melina disse:

    Isso! Emoções fazem parte do ser humano, não podemos esquecer delas.
    A correção que precisamos fazer vez ou outra é em relação a alguma ação e não ao amor. A criança entendendo isso, ganhamos seu coração.
    Adorei.

  6. A maternidade (e paternidade) tem mesmo esses desafios né?
    Sabedoria e serenidade para agir são muito mais importantes que as palavras.

    Essas reflexões são sempre ótimas!
    Obrigada por compartilhar conosco.

    Bj
    Estela
    http://www.equilibrioefamilia.com.br

  7. Alê Nunes disse:

    Realmente é um grande desafio, conseguir ensinar nossos pequenos a lidar com as emoções, e que ser feliz está nas pequenas coisas.
    bjs,
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br

  8. Familia é tudo! É o alicerce da relação, é tudo aquilo que não se consegue aprender na escola. Por isso temos papel fundamental e que não pode ser “terceirizado”. Pena que muitos pais negligenciem não é? Com certeza para se refletir.

  9. Ana Claudia disse:

    O desafio é diário. Saber lidar com as emoções é algo que deve ser ensinado desde cedo. É importante saber lidar com medos, alegrias e frustrações.
    Explicar para as crianças como as coisas acontecem é um bom começo. Post para reflexão.

  10. Sou fã do Augusto Cury, gostaria muito de ir em uma palestra, mas no momento só li os livros mesmo!
    Adorei sua postagem, acredito muito em tudo que você disse! Os pais precisam estar conscientes disso!

    1. Eu conhecia poucos textos dele mas confesso que a palestra me surpreendeu.
      ele é muito didático e fala de maneira fácil e fluida… encantador
      bjs

  11. Gabis Miranda disse:

    Aprendi isso com o meu pai: Ser feliz é se reinventar TODOS os dias.
    Adoro qd seus posts são assim, cheios de reflexão.
    Vc adora o Curi, né?! Já vi vc citá-lo outras vezes aqui.
    bjs

    1. Eu fui bem impactada pela palestra dele
      gosto do raciocinio dele!
      Que bom que gosta dos meus posts reflexivos.. hehe
      bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana