Eu não sou a mamãe da calcinha bege

Quem aqui tem filho com mais de 3 anos (ou 5 né Fabi??) e ainda tem calcinhas pós-parto no armário?

PÁRA TUDO!

Por que a gente tem que manter essas coisas medonhas em nossas gavetas? Algumas dirão que são confortáveis, outras que são úteis para “aqueles dias” e outras dirão ainda: mas tem algum outro modelo possível? hehe

calcinha bege

Antes que as feministas me linchem, não estou dizendo que precisamos usar calcinhas lindas para acender o desejo do marido ok?

Vamos lá…

Uma calcinha confortável, um sutiã que sustenta sem machucar são fundamentais no dia-a-dia mas, quem disse que precisam ser sem graça?

Ao vestir uma lingerie mais bonita a gente se sente melhor. Pode ser de lycra, algodão, cetim, renda, ou seja, do material que você gostar e se sentir bem.

No bate-papo em que participei recentemente com o pessoal da DiLady Lingerie e da EloDigital, falamos desse conforto e da beleza da lingerie, sem ser vulgar, sem ser sem graça… o tal do equilíbrio sabe?

A gente casa, tem filhos e não precisa ficar careta nem passar reto pelo setor de lingeries sexys e lindas. Não para o marido ou parceiro, mas para você. Aliás, qualquer atitude que ajude a melhorar a auto-estima pós filhos é fundamental!

Mãe feliz = filhos felizes

A gente só dá o que tem. É fundamental voltar a se amar, a se cuidar e viver de bem com a auto-estima para cuidar bem dos filhos, da casa, do marido e do trabalho. Se a gente não se gosta, fatalmente todo o resto vira um emaranhado de “não-gostar” e, vamos combinar, a vida vai ficando cada dia mais difícil.

Na foto que ilustra o post, a modelo está de bobs no cabelo, lingerie gigantesca (e bege) e meia 7/8 e está sexy. Sim ou não? É também uma questão de atitude.

Em tempo, acho uma bobagem sem fim os homens que acham a calcinha bege pouco sexy, ou que precisam de algo encandalosamente sexy para se excitar…

Ás vezes é mais fácil culpar filhos, a falta de tempo, a idade ou sei lá o que mais, do que olhar para si e procurar se gostar mais.

É um exercício diário. Se aceitar e ir além do básico nos cuidados consigo!

Mas é fundamental para a sanidade!

beijão
Lele

5 comentários em "Eu não sou a mamãe da calcinha bege"

  1. Observações muito boas!
    beijos

    1. Opa! Já leu!!!??
      disserte sobre… HAHAH
      bjao

  2. Eu achei lindo esse sutiã bege da foto rs
    beijo

    1. HAHAHAH eu tb Cy!
      Tenho um parecido /o\

  3. Viviane Petri disse:

    Adorei…
    Eu não cheguei usar as calcinhas confortáveis, mas sutiã sim, e hoje vejo que poderia ter usado outros.
    Mas com certeza, conforto e beleza andam juntos.
    Mas roupas íntimas bege e cor da pele usei e ainda uso.
    Bjs
    Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2008-2018 © Eu, ele e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana