Obrigada 2018

2018… que ano!

Começou com mudanças físicas – mudei de casa, decorrente de uma mudança de estado civil: me divorciei.

Demorou até eu entender que eu precisava olhar para dentro para concretizar todas as mudanças. Mas eu sou CDF e fiz a lição de casa.

E foi em setembro que conclui uma linda fase de auto conhecimento (que na verdade é um work in progress, ou seja, não acaba desde que você tenha disposição para encarar tudo sobre você).

Eu quero muito agradecer a todos que me ajudaram em todo esse processo e muito a talvez nem saibam dos seus papéis fundamentais nisso tudo.

Primeiro, quero agradecer minha familia. Começando pelos meus filhos, Isa e Otavio, que sem dúvida foram os que mais “sofreram” com tudo isso. Coloco o sofrimento entre aspas porque hoje entendendo todo sofrimento como aprendizado. E eles aprenderam muito sobre amor, União e família nesse ano.

Em seguida quero agradecer aos meus pais, pelo amor incondicional – não importa quem esta certo ou errado, você é nossa filha e estamos com você.

Obviamente minhas irmãs foram fundamentais no processo, com um abraço sincero, apertado, com uma palavra de incentivo ou um empurrão. Ni e Lidim, o que seria de mim sem vocês? O mesmo para Ana e Enrico, meus sobrinhos amados, me apoiaram incondicionalmente.

Na sequência preciso agradecer cada amiga que me visitou no novo lar… trazendo sempre palavras de conforto, carinho e o mais importante, presença.

Ivana, Elaine, Dani Stefaneli, Thaty, Pati Cerqueira, menina Diiirce, Bia Freitas, Adele, Marcela, Andrea, Flávia, Fá, Ju e Dé, Grazi, Vânia, Ju Hissamura, Re, Danny, Quel, Lica, minhas primas Luzia, Magali, Sueli e Dani, minha tia Iolanda. Me visitaram e revisitaram… sempre com amorosidade.

Obviamente algumas foram mais presentes então vamos as agradecimentos individuais.

Marozita. Obrigada pelo choque de realidade. Por colocar meus pés no chão, por me dar uns tapas na cara. Sou meio mulher de malandro e amei cada chamada. Porque te amo e entendo que só quer o meu melhor.

Re Sordille… minha priminha que não sabia se gostava de comida árabe descobriu que gosta disso e de muitas outras coisas. Amei estar tão perto de você e como aprendi pelo seu olhar.

Thata, minha fiel escudeira. Quantas mensagens trocadas, telefonemas, desabafos. Rimos e choramos juntas. Muito.

Fabi… nem sei por onde começar a te agradecer. Além da sua paciência, sua empatia, seu carinho e disponibilidade, ainda me ensinou crochê, trabalha comigo e ainda me aguenta aos domingos… hehhe é muito amô!

Jane, minha Gane… a gente já se amava mas o que eu sinto por você é inexplicável. Você é inteligente, divertida, amiga praquele dia de deprê, chora junto e dá uns chacoalhões… ainda racha o Marmitex e a cerveja no Terraço.

Cy, minha Grace (ou Frankie)… meu chacoalhão, meu olhar sem filtro, meu pé no chão, meu sarcasmo, meu amor mais sincero e handmade.

Não posso deixar de agradecer pessoas maravilhosas que cruzaram minha vida e nem imaginam o quanto me trouxeram novos caminhos… novas oportunidades e novos olhares…

Sassa um cara que eu conheço há muuuuitos anos e nem faz ideia do quanto as reuniões aos domingos de manhã ou no Luiz até as 2h da manhã foram libertadoras.

Lucio e Flávia, foi o casal que me aceitou de vela no meu pior momento. E como rimos, como nos divertimos. Saudade.

Fe… meu braço direito (e esquerdo… É às vezes o cérebro). Obrigada especialmente pela paciência.
E por integrar tão bem nossa Marininha na nossa rotina maluquete.

Dani, meu amigo mais gato. Parceiro mesmo e um super conselheiro.

Marília, minha prof pilateira e sabia. Tão jovem e tão maravilhosa sobre a consciência de si. Suas aulas são incríveis.

Paty, a fotógrafa mais foda de todas. Que enquanto eu era maquiada falou da vida, do aprendizado, de ser mulher, leve, das redescobertas, no olhar pra si.

Amandinha… a minha bruxa preferida e que chegou a minha vida por caminhos inimagináveis… tudo tem um porque na vida e semanalmente descobrimos isso.

Adri, minha terapeuta maravilhosa. Quanto aprendizado nesses meses. Quantas curas alcançamos, quantas descobertas e surpresas. Obrigada por me levar à consciência. Sou gratissima.

Mari… linda e forte. Um número 8 como eu que eu admiro e tenho medo… Hahhaha… os 8 são fortes, justos e generosos.
Quanto aprendi com o curso e com tudo o que esse turma dos 4 Caminhos me trouxe.
Fer, Babi… E todos os meus amigos que participaram dessa jornada junto comigo. Foram aprendizados únicos e os respeito muito por toda a vivência e entrega daqueles dias únicos. Obrigada por me acolherem e respeitarem.

Minhas amigas Nanna e Mari… Tão lindas. As primeiras a saberem de tudo e me apoiarem ao longo do ano, mesmo com as agendas malucas e desencontros. Tem amor de sobra.

E claro que não posso esquecer do pessoal do coworking mais amado da cidade… Sol, Amanda, Rodrigo… Obrigada pela acolhida e carinho.

É ainda tem amigos que estao comigo mesmo estando longe e/ou que confiam em mim e no meu trabalho e isso me deixa eternamente grata.. Sil, Marthinha, Gui Mazzola, Lorenzo, Lisandra, Lu Uemura, Luzia, Luria, Diogo, meu guru Rafa hahah…

Aos que não me acolheram ou não souberam o que dizer… tudo bem. O dia a dia nos consome e temos outras prioridades. Eu entendo. E respeito. Só acho que, se somos amigos devemos resolver isso… logo. ;)

Obrigada 2018. Um ano maluco e cheio de redescobertas. Teve mil encontros e desencontros. Papos cabeças, momentos blasé, bobeiras…

Amor, vida, brilho no olhar, euforia!
Vem 2019! Tô prontinha pra você!

Bjs

Lele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana