As piores coisas da maternidade… e que a gente esquece com o tempo!

Dia desses eu tava ouvindo um chorinho de um bebê recém-nascido e foi me dando uma agonia de não estar perto (nem ter intimidade) para fazer o bebezinho de acalmar – e parar de chorar.

Foi aí que me lembrei de algumas coisas que, para mim, era as piores coisas da maternidade enquanto estava vivendo toda a descoberta, mas que com o tempo se apagaram da memória. É fato: enquanto estamos no lerê-punk-hardcore é difícil acreditarmos que vai passar, que esqueceremos dos dilemas e problemas e que até, quem sabe, sentiremos saudades disso tudo.

Mas, vou dizer: sim, é verdade!

O comecinho da maternidade, cheia de dúvidas e medos, cheio de novidades e situações inesperadas vem e passa! É verdade! Claro que o segundo filho traz de novo algumas situações já vividas, mas também traz coisas novas.

Então, eu listei AS coisas que marcaram MUITO minha iniciação… para mim essas são as piores coisas da maternidade!

As 7 8 piores coisas da maternidade

piores-coisas-da-maternidade-crianca-chorando

Vamos lá para a listinha! hehe

  1. Dor do parto
    Eu cheguei parindo a Isa (praticamente) e induzi o parto normal do Otavio. No parto da Isa não tive dor, já no do Otavio…
    Mas se alguém me perguntar qual foi a sua pior dor na vida eu vou dizer: a da extração dos dentes do siso. E juro que é uma dor que eu não esqueci. Já a do parto, nem me lembro.
    Claro que deve ter a ver com a benção seguida da dor, ter seus filhos nos braços, aquele momento em que a vida muda e muda e muda, e você não tem ideia de tudo o que está por vir!
  2. Sangramento pós-parto
    Sinceramente… uma das coisas mais bizarras da maternidade. Eu imaginava que teria mas não TANTO. Não há absorvente que dê conta. Acho que traumatizei e por isso resolvi colocar o DIU Mirena e não sangrar mais. hahah
  3. Leite vazando (e roupa cheirando a leite)
    Não importa se você tem a disciplina e usa corretamente os protetores para os seios durante a amamentação. Mais cedo ou mais tarde você vai ter seu leite vazado no sutiã ou na roupa, e vai ficar cheirando a leite. Ou o bebê vai soltar o bico e respingar na roupa ou, o mais frequente, vai golfar em você após uma mamada. O cheiro de leite nas mamães é inevitável.
  4. Noites com sono picado
    Na primeira noite da Isa em casa ela mamou às 23h30, depois às 3h e depois às 6h. Eu não achei tão sacrificante a noite picada. Mas, depois de meses assim e com outra gestação seguida e mais um longo período de amamentação exclusiva, acordar a cada 3 horas era, sem dúvida, a pior parte do dia.
    Hoje eles estão crescidos e não me lembro das privações de sono. Todos dormem bem por aqui e tem noites que eles chamam e eu nem ouço.
  5. Choro de bebê
    O choro dos meus filhos nunca me irritou. A minha aflição com choro de bebê é não saber porque choram… a Isa – já contei aqui no blog, chorava de calor!! Mas em geral meus dois filhos choraram o normal, nada de cólicas, refluxo ou outro problema mais sério que os fizesse ficar acordados e chorosos. Me lembro bem pouco do choro sem controle, e sei que ocorreram, mas esqueci! UFA!
  6. Sensação de estar presa/refém do filho
    Isso eu senti bastante. Eu vivia na rua, trabalhando, indo para todos os lados, independente. E, de repente, ter uma bebê que demandava meu peito a cada 3 horas (ou menos) limitava muito meu ir e vir. Hoje eles vão e vem e faço ainda minha agenda em função deles mas é bem diferente.
    Podemos até passar dias longe (só aconteceu um vez), mas não tenho mais essa sensação de ser refém dos meus filhos. Mas não significa que não quero ficar perto deles, pelo contrário.
  7. Não ter a certeza se está fazendo o certo
    Eu tinha milhares de dúvidas! Desde a pega no seio até o horário correto do banho, da rotina do sono ou se eles mamavam o suficiente. Eu não tinha nunca a certeza de que estava fazendo a coisa certa. Apenas intuía que sim. Hoje eu faço as escolhas mais segura, decido e pronto. Não tem mais #mimimi sobre coisas corriqueiras e que passam.
    Ah… a maturidade é uma benção!
  8. Baby blues
    Como bem lembrou a Talita do blog Só Melhora, como esquecer do BabyBlues?
    Quando a Isa nasceu eu chorava TODOS os dias. Era um misto de sentimentos… alegria, medo, ansiedade. Com o tempo fui ganhando confiança e os choros cessaram.
    Mas quando o Otavio nasceu, lá fui eu de novo… chororô dia sim, dia sim!! heheh Mas durou bem menos. E passou. UFA!
    Vale lembrar que se essa angústia não passar você DEVE procurar auxílio especializado.

Eu esqueci do dia-a-dia da maternidade de recém nascido porque meus filhos estão crescendo, as demandas mudaram e, com certeza, hoje em dia tem coisas que me incomodam mais, novos desafios que me colocam em xeque e novas histórias que estamos construindo nesses mundo doido que muda o tempo todo.

Não existe maternidade fácil. Se está fácil tem alguma coisa errada… hehe

beijos
Lele

*Importante: não quero com esse post minimizar a dor de ninguém. Só quero mostrar que isso passa, que é comum acharmos que seremos engolidas por essas situações mas que no final (ou no caminho, heheh) tudo da certo!!

11 comentários em "As piores coisas da maternidade… e que a gente esquece com o tempo!"

  1. Eu incluiria o loucura dos hormônios e o Baby Blues: chorar os 30 dias seguintes ao nascimento do meu filho foi algo realmente chocante. (mas 3 anos depois também já tô começando a esquecer, Lele… hehehe)

    1. Ta vendo? Tinha esquecido do Baby Blues.. e olha que sofri com ele também. Vou inclui-lo!
      Sim, esquece porque vem outras coisas na sequencia. heheh
      bjs

  2. É assim mesmo. As vezes comentou alguma coisa com o meu marido e ele fala: com a mais velha era a mesma coisa, esqueceu?

    E teve um dia que ele me disse: daqui a pouco você vai esquecer de todas as dificuldades e ainda vamos ter o terceiro filho…

    Mas pra mim foi e ainda é o choro… menina é uma agonia ver o bebê chorar…

    1. Olha aí!!! quem sabe vem o terceiro ne? hehe
      bjs

  3. Gabriela disse:

    Até agora só esqueci dos 3 primeiros, já o item 4 me persegue!!!!

    1. Mas passa Gabi!
      Só que privação de sono é o que mais enlouquece MESMO

  4. Jussara T Souza disse:

    Eu lembro do meu desespero com o choro deles.( tentar descobrir o que os incomodava) acredite continuo sentindo isso com os netos.
    Beijos

  5. Claudia Bins disse:

    Que engraçado, ontem mesmo eu pensei sobre isso…kkk conexão cósmica? Mas concordo com você, enquanto estamos lá é aquele “deusnosacuda”, mas depois passa, esquecemos e até sentimos falta!

    Clau
    @AsPasseadeiras

  6. A 4, 5 e 6 são as piores ne rs? E faz tanto tempo q qdo lembro nem acho que era assim tão trash (mas na época era rs) Fico pensando se eu agiria diferente se voltasse no tempo… Beijo Le!

  7. Ana Claudia disse:

    Nossa você falou bem. O leite vazando e o sentimento de estar presa foi o pior pra mim. Mas que bom que tudo passa né hahaha
    Mas acho que faria tudo igual se voltasse no tempo.

  8. Camila disse:

    A gente acaba esquecendo muita coisa mesmo. Isso porque no final tudo é recompensado pelo amor que temos pelos pequenos…
    Falo que se a gente não esquecesse só existiriam filhos únicos!
    Beijos,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana