Tal Mãe, Tal Filha

Não! Não to aqui pra falar da moda Mãe e Filha que ganhou as ruas, vitrines e corpinhos por aí. Hoje é um post reflexivo… Tal mãe, tal filha! Sabe aquele ditado? “Diga-me com quem andas que eu te direi quem és”? Pois é… a relação mãe-filha(o) tem tudo a ver com isso.

tal mãe tal filha

Além de sermos os exemplos para eles, somos a principal referência (ou o cuidador, o responsável em questão – avó, madrasta, pai, tios, profs etc) na formação dessas crianças.

Mas, como estamos na semana do dia das Mães, andei pensando sobre como, cada dia mais, me pareço com a minha mãe. O que pra mim é um orgulho e também um mix de sentimentos confusos… heheh

Lembram? Já postei sobre: O dia em que me tornei minha mãe!

Além das frases clássicas que toda mãe fala, temos também as atitudes…. Claro que não é da noite para o dia que nos tornamos uma mãe-padrão, mas a maternidade faz isso com a gente, quer a gente queira ou não.

Outro dia ouvi no rádio uma entrevista e a pessoa dizia: amo ser mãe mas a maternidade é um porre! Acho que sei do que ela estava falando…

Mas, voltando ao foco principal, eu percebo a cada dia um olhar diferente sobre as situações cotidianas. A Helena de 10 anos atrás, pré-gestações, era outra pessoa, sem dúvida nenhuma.

A maternidade nos dá, passado o período caótico de 0 a 3 anos, uma serenidade impensável. Uma compreensão sobre a vida, sobre as relações humanas, sobre os porquês de tudo que só chegando até aqui para entender.

Alguns poderão dizer que isso vem com a MATURIDADE. Ok! Concordo. Em partes! A maternidade é transformadora… a gente consegue desenvolver habilidades e sentimentos que não conhecíamos antes. Eu acho mesmo que o caráter é o mesmo, independente de ser mãe ou não, seres humanos não mudam completamente MAS acredito que ser mãe e responsável por uma ou mais criança nos torna mais flexíveis, nos faz querer ser (na maioria dos casos) pessoas melhores.

Vale a pena ler: O poder de empatia das mães!
post da Gabis Miranda – Bossa Mãe

Eu me orgulho da pessoa em que me tornei… antes conhecida como esquentadinha, hoje reconhecida pela minha calma e paciência.

maeefilha

Ok! Eu surto ainda, eu grito, esbravejo e perco a calma também mas agora esses momentos são a exceção e não a regra.

Em alguns momentos me reconheço nos meus filhos, seja pelo jeito de falar ou de agir – já que na aparência eu não tive a mínima chance… heheh E fico feliz com o que vejo! Isso é bom! <3

E você? Se reconhece pós maternidade? Consegue identificar no que você e sua mãe são parecidas? E já consegue ver um pouco de si em seus filhos?

Beijos
Lele

18 comentários em "Tal Mãe, Tal Filha"

  1. Edna disse:

    Sim… consigo ver um pouco de mim nos meus dois filhos Carol e Rodrigo….ambos na faixa dos quarenta….sou muito grata por terem me transformado na pessoa que sou hoje.
    Beijos a você Helena e a todos os seus.

    1. que lindo seu comentário!
      obrigada pelo carinho
      bjs

  2. Adorei o post, Le! Que lindas, vc e sua mãe! Hoje em dia eu enxergo muito da minha mãe em mim (até nas partes que não gostaria rs..) O Matheo me faz lembrar muito da criança que eu era, adorava brincadeiras malucas e viajava nas ideias rs, já o Thi é mais o pai mesm rs…
    PS: louca para a volta de gilmore girls…
    beijos

    1. Ahhh obrigada Cy <3
      Gilmore Girls no Netflix EM BREVE!!!!!
      bjsss

  3. Aguardando ansiosamente passar os 3 anos para encontrar essa serenidade, Lele! Por enquanto estou bem longe dela… hehehe
    Só bem recentemente fiz o luto da Talita pré-maternidade, mas sim, hoje já me reconheço no espelho. E também já me reconheço em algumas coisinhas no pequeno – nas atitudes, porque a cara também é do pai por aqui…
    Aliás, já fiz essa reflexão lá no Só Melhora:
    http://somelhora.com.br/index.php/2015/09/22/me-vejo-no-meu-filho-ou-ele-e-a-cara-do-pai/

    1. hehe a serenidade chegará! acredite! heheh
      adorei o luto pré-maternidade <3
      e to indo la ler o post
      bjss

  4. Gabis Miranda disse:

    Olhaaaaaa euuuuuu aqui! :)
    Amei o post!
    Sabe que pensei nisso dia desses, no quanto reconheço minha mãe em mim. Mas acho que isso veio após a perda dela e com a vinda da Stella. Uma coisa de querer ter e ser o melhor dela para meus filhos.
    Feliz dia das mães pra vc e pra sua mamis linda, Lelê!
    Bjsssss

  5. Gabis Miranda disse:

    Olhaaaaa euuuuu aqui!!! Rsrs Amei o Pós e a indicação. Rs
    Tenho pensado muito nisso, no quanto tenho da minha mãe. Mas acho que alcancei isso após a perda dela e com a chegada da Stella. Na verdade, é uma tentativa de dar (e ter) o melhor dela para meus filhos.
    Feli dia das mães pra vc e para sua mamis linda, Lelê!
    Beijos

    1. Obrigada Gabis querida
      um prazer poder ler seus posts e me inspirar com eles tb
      bjao

  6. Adorei o post, em algumas coisas eu me vejo no meu filho, mais ele tem muitas coisas do pai dele também, e como ele ainda é pequeno tenho certeza que ainda vão aparecer muitas coisas iguais a mim ou ao pai

    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

    1. Sim!! Com o tempo isso se torna mais nitido!
      bjs

  7. Tatiane disse:

    Eu vejo muito de mim na minha filha, mesmo pequena ela tem muitooo de mim rsrs! Da minha mãe biológica não tive convívio então não faço idéia, mas vejo um pouco de cada pessoa que passou em minha vida em mim bj

    1. Que lindo isso!
      Vamos aprendendo sempre com as pessoas perto de nós ne?
      beijos
      Lele

  8. melissa disse:

    Muito legal o post!!
    Eu me vejo em vários comportamentos da minha filha e também me vejo repetindo o que minha mãe já foi pra mim!
    Tento não cometer os mesmos erros!
    Adorei!
    Bjs

    1. Os erros são inevitáveis… se puderem ser diferentes, melhor! heheh
      beijao

  9. Claudia Bins disse:

    Com certeza me vejo em minhas filhas, vejo trejeitos, expressões e comportamentos. Mas faço de tudo para que sejam melhores que eu, procuro chamar a atenção e peço desculpas quando faço algo que não devia. Enfim, a gente faz o melhor que pode.

    Beijos,

    Claudia
    @AsPasseadeiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana