Você vai ficar velhinha?

Você vai ficar velhinha?

CC0 Public Domain

Quando o ritual do sono perde o rumo, em raras vezes na semana, acabo tendo um dos dois na minha cama pedindo pra ficar comigo até adormecer… Não é manha ou capricho, é só um pouco mais de carinho da mãe já que é o pai quem cuida dessa rotina.

E no último domingo, depois de 4 dias intensos com os pequenos eu achei que eles estariam cansados de mim. Dei boa noite na sala e fui deitar. Exausta!

Uns minutinhos no tablet antes de pegar no sono e, de repente, tem um menininho na minha cama querendo bater papo e brincar… “Mas já são quase 23h” eu penso comigo procurando uma forma de diminuir o ritmo do Otavio. Começo conversando baixinho, faço uma brincadeira e falo: “Vamos rezar?” é o nosso sinal para: hora de dormir, de verdade.

A gente sempre reza um pai nosso, uma ave maria e depois pede/agradece por algo especial do dia. Mas, não é a primeira vez que, no final da ave maria ele se assusta com a ultima frase:

“(…) até a hora de nossa morte, amém!”

Nessa hora ele virou e disse: Mãe, nós vamos morrer?

Eu: vamos filho, um dia…

Ele: Mãe, você vai ficar velhinha?

Eu: vou sim filho.

Ele…. BUÁÁÁ! Um choro sentido de partir o coração da mãe em um milhão de pedacinhos…

Fui acalmando ele, dizendo que sim, mas que vai demorar. Que vamos ficar juntos pra sempre, que não importa o que aconteça…

É normal eles terem medo de crescer (lembram que já contei aqui sobre a Isa?)

E acho que eles percebem nessa fase, com 6/7 anos que a vida muda… eles saem da educação infantil, nem tudo é só brincadeira, as responsabilidades aumentam, eles começam a entender que nem tudo é tão simples, fácil ou mágico como parecia até então.

Eles começam a entender que nem tudo é tão simples, fácil ou mágico como parecia até então.

Quer saber? Escrever isso dói até em mim… imagina neles que estão aprendendo a lidar com as emoções ainda…

Ver os filhos crescerem – como bem lembrou a Diiirce esses dias, não é NADA FÁCIL. A gente se despede da infância de novo (pela segunda ou terceira vez) e é bem complicado. Porque a despedida da NOSSA infância passou, mas ver os filhos terminando essa etapa dá um nó no peito (daqueles bem apertados).

Hoje entendo porque eu ainda sou a bebê da minha mãe… hehe é uma forma de mantermos esse lado infantil em nós mesmos.

E eu vou continuar rezando antes de dormir com ele e torcendo para que ele entenda que eu estarei aqui, o tempo todo que ele precisar. Para ele, para a Isa, com todo o meu amor…

beijos

Lele

Tags: ,

18 comentários em "Você vai ficar velhinha?"

  1. melissa disse:

    Me lembrei de um momento aqui em casa, quando Bia viu meus cabelos brancos(eu pinto pq tenho muitos) e começou a chorar dizendo que eu não poderia morrer pois pra ela cabelo branco é porque já estava velhinha…imagina só!!
    Bjs

  2. Gabis Miranda disse:

    Ahhhh que lindo!
    Uma vê aconteceu a pergunta “mãe, vc vai morrer?!”. Espero que demore muito, mas por conta do Ben já ter presenciado Q morte tão novinho, ele por um bom tempo não queria nem mais soltar da gente na hora de dormir. Depois dormia com uma peça de roupa minha e outra do marido. Passou, mas às vezes ele
    Me pede uma roupa minha.

    Mas enfim, ver os filhos crescendo não é nada fácil, mas tenho tentado ver por outra perspectiva, vê-los crescendo também dá uma enorme satisfação e é nisso que tenho me apegado.

  3. Já saí da tpm mas seu post me fez lacrimejar, ando pensando tanto nisso, de como o tempo passa rápido, e já tive essa crise da Milene de “cadê meus bebês, parem de crescem rs! Porque o cuidar é a troca de carinho, e embora a gente saiba que quando crescerem apenas os cuidados vão diminuir e não o carinho, acho que um certo vazio é meio inevitável né? Mas enquanto isso bora continuar afagando e deixando um espacinho na cama de vez em quando…beijo querida!

  4. Ana Claudia disse:

    Meu filho às vezes também pergunta se eu vou ficar velhinha e eu respondo que sim. A conversa continua e ele pergunta se vou ficar velhinha igual a vovó. Eu digo, sim filho. Vou ficar. Mas mesmo velhinha estarei sempre perto de você. Ele ainda tem três anos e não sabe muito bem qual o sentido de ficar velhinha e de morte. Mas já é bom dizer que estaremos sempre juntos, não importa o que aconteça.

  5. Alê Nunes disse:

    Puxa, me trouxe muita recordação de infância teu post. Eu morria de medo de rezar a Ave Maria, achava que era “agora é a hora de nossa morte”.
    Lembro que quando ia a igreja com a minha vó eu dizia para ela na hora dessa oração “Vó, vamos embora! A gente nem é velha para morrer agora!”.
    Doces recordações, te agradeço por ter me trazido essa vivência de novo! Saudades mil da minha Vó!
    bjs,
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

  6. Patricia disse:

    Lembro dessas angústias com os meninos e de ficar preocupada em garantir a eles que viveria muito porque uma vez li alguma psicóloga explicando como é difícil responder a essa pergunta para os filhos. Se a gente diz que vai viver muito, e morre de repente a criança fica com a ideia de que mentimos. Mas se falamos que não sabemos, a criança fica insegura, sem saber. Tema delicado e vale a nossa sensibilidade de mãe e de cada filho, né?! Adorei o post. Beijos

  7. Tatiane disse:

    OPA caiu um cisco! E só de pensar já choramos, sim o tempo vai passar né eu não tive esse tipo de conversa aqui pq ela ainda não entende, mas já perguntou do céu e na oração ja reparou no fim dela. Mas ainda não questionou

  8. Lindo texto, Lele.
    Meu filhote ainda não entende muito essas questões de morte e envelhecer. Confesso que não estou preparada para falar sobre o assunto.

  9. Camila disse:

    Eu lembro que nessa fase dos 7 anos eu tinha muito medo que meus avós morressem….
    Não é fácil ver nossos pequenos crescerem assim, né!

  10. Poxa, tão difícil lidar com essas situações e questionamentos em nós mesmos, adultos, na cabecinha infantil também não é nada fácil!

    Mas faz parte da vida né?
    Importante é encarar e ensinar como algo natural.

    Bj

  11. O Gui aqui já teve algumas vezes me perguntou se iriamos ficar velhos e falei que sim que todos ficam ai ele começou a chorar e disse que não queria pois não queria morrer

    Bjs Mi Gobbato – Espaço das Mamães

  12. Louise Furtado de Aguiar disse:

    Caio ainda não pergunta isso, mas já preciso me preparar!

  13. Aqui em casa as meninas tem uma bisavó, então elas entendem bem sobre ficarmos velhos um dia. Mas quanto a morrer, a minha filha mais velha, a Emely ela precisou entender de uma forma bem dura e ainda bem cedo. O amiguinho dela morreu quando tinha 7 anos e ela tinha 6 na época. Fomos ao enterro e ela quis ir. E enquanto ele estava sendo velado e sua mãe chorava muito ela mandou me chamar pois somos muito amigas. E eu não aguentei, precisei sair. Fui então pra fora e comecei a chorar e quando vi a minha filha também estava chorando. E quando enterraram o Caio foi como se uma voz se calasse dentro de nós. Foi muito triste! Já passaram quase 6 anos, mas quando lembro as lágrimas ainda vem aos olhos. Ele foi meu pagem no meu casamento junto com minha filha :( Sei que ele está com Deus, no céu, mas deixou muitas saudades!
    Beijinhos!
    https://dulcineiadesa.blogspot.com

  14. Viviane Petri disse:

    Isso me emociona também.
    Eles tem tantos questionamentos, e saber se vamos envelhecer e morrer são um deles.
    Aqui também oramos antes de dormir, e agradecer pelo dia é super importante.
    Hoje entendo mais ainda como e difícil imaginar viver sem meus Pais, imagino para eles que ainda são tão pequenos.

    BJs
    Vivi

  15. Adriana disse:

    Essa idade eles começam a perceber mais sobre a morte. Theo também já me fez essa pergunta e tenho que ter um “rebolado” para conversar de uma maneira real e ao mesmo tempo sem ser triste. Não está fácil kkkkk

  16. Oi Lelê, já passeipor essapergunta aqui também. E uma fase que eles ficam com medo que a gente fique velha.
    Sabe que eu não tenho esse aperto todo vendo as minhas filhas crescerem? Fico com saudades delas pequenas, as cham de meu bebê, mas fico com um orgulho enorme de vê-las crescendo e realizando novas conquistas.
    Amei o seu post.
    beijos
    Chris

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana