A mãe chata foi substituída

Sabe quando o stress do dia-a-dia faz seu raciocínio ficar confuso? Quando você começa a questionar os porques da vida e das escolhas? Então… to meio nessa fase! heheh E já aviso: a mãe chata foi substituída!

mãe chata, mãe robo

Calma! Antes que as patrulhas de plantão se assanhem quero dizer que, a chata foi passear mas a consciente continua aqui.

O ano começou daquele jeito (para o bem e para o mal) e a gente tem que organizar a rotina dos filhos de férias, depois a volta às aulas, escolher os cursos extra-curriculares, renegociar contratos com os clientes, administrar a casa (a minha parte é mais voltada a alimentação e tudo o que envolve ela), cuidar de mim um pouquinho e etc etc etc. Dá tilt mesmo!

A verdade é que nem eu tava aguentando o tanto de regras e condições impostas aos meus filhos e, veja bem, ainda é março!

E aí eu desliguei o modo “Mãe Chata” e deixei ela passear, tirar umas férias… quem sabe até a passagem tenha sido só de ida para a Lua e ela permaneça por lá até que alguém mais aterrize! heheh

Por um mundo menos chato – Nanna Pretto

Não foi nada milimetricamente pensado, mas talvez o texto da Nanna (link aí em cima), tenha me ajudado a entender como eu andava um porre com as crianças. Tipo um quartel general. Menos né? Dá pra educar, colocar limites e regras sem precisar ser assim.

E aí, numa noite dessas, minha filha pergunta:

Mãe, você foi substituída? Por que agora você deixa as coisas que não deixava antes?

Pois é… tomei na cabeça, daquele jeito! Eu entrei na brincadeira e disse que eu era um robô!

mãe chata, mãe robo

Mãe chata: não queremos!

Esse ano tem Otavio no fundamental 1 que, por si só, já é uma tensão pelas novidades e mudanças. Eles mudaram os cursos extras, estou mais tempo no escritório e menos na rua, os clientes estão mais exigentes (todo mundo defendendo o seu a qualquer custo) e é inevitável o stress.

Mas não posso repassar isso para eles. Os problemas, neuras ou medos são meus e eu vou cuidar disso sem que interfira (ok ok, que interfira o menos possível) na vida deles. Não vou largar mão e ser permissiva (e isso já está rendendo um outro post), mas vou ser mais relax com coisas que, de verdade, não tem tanta importância. Ou, melhor, não vou deixar algo pequeno tomar proporções maiores do que tem, de fato.

A gente pode mudar o cardápio, a rotina, a hora de dormir, a organização um dia ou outro e isso não fará deles adultos piores.

Também podemos viver mais relax, sem as pressões invadindo o ambiente familiar. É difícil, é um exercício e tanto, mas acho que estamos conseguindo. (embora hoje mesmo tenha me alterado por um motivo…. besta! #fazparte!)

Meus filhos estavam/estão mais felizes porque a mamãe aqui está menos histérica, menos mandona, menos rígida com alguns detalhes.

Não sei se é uma mudança definitiva, se o robô tomou meu lugar para sempre… heheh Mas percebo eles mais felizes e isso é, de verdade, o que importa para mim.

beijos
Lele

Tags: , ,

18 comentários em "A mãe chata foi substituída"

  1. Patricia disse:

    Ah, Lelê. Ótimo texto. Também dei férias para o meu lado chato da maternidade faz um tempo, inclusive na alimentação, veja só. Ultimamente ando relaxada até demais. Rsrsrs. Mas num é que a vida ficou mais leve. Eu acho que isso tem a ver com maturidade da maternidade.
    Tb escrevi sobre esse tema: http://disneybabble.uol.com.br/br/comportamento/pelo-equilibrio-no-discurso-nutricional

    Beijos

    1. Verdade Pati… maturidade…
      bjs

  2. Ah! Que legal! Adorei ler o texto e o comentário acima e saber que não a única a pensar nisso.
    Ultimamente meu lema é: Por uma maternidade (e vida!) mais leve e menos chata!
    Também escrevi sobre isso:
    http://somelhora.com.br/index.php/2016/03/01/vergonhas-de-mae-moderna/

    1. Perfeito Talita!
      Vou ler seu post!
      beijao

  3. Ana Claudia disse:

    Me identifiquei bastante com o seu texto. Realmente tem muita coisa para administrar e é bom relaxar e se voltar para o que é realmente importante. Achar o equilíbrio nem sempre é fácil mas nós conseguimos.
    Ótimo texto e uma boa reflexão.

    1. Obrigada Ana Claudia!!!!
      Verdade, vale a pena deixar a vida mais leve…
      bjs
      Le

  4. Alê Nunes disse:

    muito bom, estou precisando tb desligar o meu lado chata :)
    bj,
    Alê

  5. ótimo texto, com certeza as vezes temos que deixar as neuras de lado, fazer adaptações

    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

    1. Verdade!
      A gente quer a vida perfeita mas é impossivel!
      hehe
      bjs

  6. Adri disse:

    Às vezes a gente repensa e muda algumas atitudes….acho que para descobrir aquilo que não vemos muitas vezes precisamos de um “chaqualão” bem dado ….ou a ficha cai….. Uma vida mais leve..maternidade mais leve…..acho que faz bem para nossa família e para nós mesmas ….. E “que se dane” aquilo que os outros pensam ….

    1. Sim, que se dane!
      heheh
      bjs

  7. Camila Vaz disse:

    Olá Lelê!
    Adorei seu texto. Vale muito a reflexão! Temos a tendência de fazer tudo mecanicamente e de fato é muito chato! Por um mundo de mães menos chatas! bjs Camila Vaz

    1. Isso!
      Vamos fundar o movimento?
      hehe
      bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana