Mulheres tem dificuldades com investimentos

Preciso confessar que sou de humanas! heheh Eu e os números vivemos numa briga, por anos… e está longe de ter fim. Não cuido das contas, não sei nem dar troco direito, enfim, acho que não passei na fila de exatas! Rá!

Mas nem por isso não me interesso por investimentos financeiros ou por saber mais como poupar ou melhorar os rendimentos. Uma época até tentei investir sozinha mas achava tudo muito confuso. E eu descubro que faço parte da maioria… como reverter?

77% das mulheres têm dificuldade para entender investimentos

A visão de longo prazo e o reconhecimento da importância de fazer um bom planejamento financeiro são características comuns para grande parte das mulheres, mas muitas vezes a maior dificuldade é tirar isso do papel. Estudo inédito realizado com mil mulheres de diferentes regiões do país pelo instituto de pesquisa online Opinion Box em parceria com o site Finanças Femininas apontou que a maioria das mulheres escolhe as piores opções de investimento.

mulheres tem dificuldades com investimentos

De um modo geral, os dados mostram que o público feminino tem a preocupação com o futuro, mas ao mesmo tempo tem dificuldade de seguir à risca o planejamento que faz. Somado à falta de regularidade para juntar dinheiro, vem a escolha por opções de investimento com retorno pouco interessante, como é o caso da poupança, ou os títulos de capitalização, que não devem nem ser considerados como um tipo de investimento.

De acordo com o levantamento, pelo menos 7 em cada 10 mulheres colocam dinheiro na caderneta de poupança (73,3%). Na sequência, aparecem 19,6% das entrevistadas dizendo que nunca investiram e outros 19,1% respondendo que aplicam o dinheiro nos títulos de capitalização. Esse perfil também condiz com outro dado relevante na pesquisa: pelo menos 7 em cada 10 mulheres têm dificuldade em entender as diversas formas de investimento (77%).

O estudo mostrou ainda que somente 1,5% das entrevistadas optou por investir em Tesouro Direto, uma aplicação de baixo risco tal qual a poupança, porém com retorno muito superior, mesmo com incidência do Imposto de Renda. Para se ter uma ideia, em abril deste ano a inflação acumulada em 12 meses (8,13%) já é superior ao rendimento da poupança em um ano (6,93%), ou seja, a inflação já “comeu” todo o rendimento da poupança. No caso doTesouro Direto, existem papeis pré-fixados que permitem que a investidora tenha o mesmo rendimento da inflação, além de uma taxa pré-estabelecida, como é o caso do Tesouro IPCA (antiga NTN-B). Ou seja, ela não corre o risco de perder o poder de compra em caso de alta excessiva da inflação.

Muita gente deixa de fazer a opção pelo Tesouro Direto – ou por outras modalidades de investimentos conservadores – por falta de informação. Entre outras opções de renda fixa, menos de 2% das entrevistadas disseram investir em LCIs ou LCAs, bem como o CDB correspondeu a somente 5,9% das respostas.

mulheres tem dificuldades com investimentos

7% das mulheres têm dificuldade para entender investimentos
Crédito do Infografico: Nara de Stéfani

Planejamento e vontade de aprender

A mudança do padrão apontado na pesquisa depende de basicamente dois fatores: interesse em aprender a investir e disciplina para guardar dinheiro. O primeiro passo está adiantado, mas o segundo ainda precisa de aprimoramento. O levantamento apontou que 63,6% das entrevistadas poupam dinheiro, contra 36,3% que disseram nunca ter dinheiro de sobra ao fim do mês. Entre as que conseguem incorporar na rotina o hábito de poupar, 48,1% não fazem isso com regularidade, enquanto 15,6% já estão em um patamar mais adiantado e conseguem guardar uma quantia estabelecida ao final de cada mês.

Questionadas sobre ter um planejamento financeiro, 4 em cada 10 mulheres (44,3%) disseram que têm, mas acham difícil segui-lo na prática. Outros 30% não possuem nenhum planejamento, enquanto 25,7% delas disseram ter um planejamento e sonhos bem definidos.

Essa variedade de comportamentos em relação ao planejamento financeiro pode ser justificada pela dificuldade existente em poupar dinheiro ao fim de cada mês. Sobre este assunto, 37,5% das entrevistadas disseram não conseguir guardar dinheiro todo mês. Outros 23,4% disseram conseguir, mas sem um valor fixo, enquanto outros 20,5% poupam menos de 10% do salário.

Se por um lado os dados mostram que existe uma grande dificuldade em fazer o dinheiro sobrar ao fim do mês, por outro a pesquisa mostra que as mulheres querem desmitificar o universo dos investimentos e querem aprender a ganhar mais dinheiro. Questionadas sobre os principais interesses quanto a finanças pessoais, a maioria respondeu “aprender a ganhar mais dinheiro” (36,8%), seguido de “aprender a investir” (36,7%).

Nesse ano coloquei esse entendimento como uma meta. Preciso entender mais para saber o que fazer com o dinheiro (seja para aprender a ganhar mais ou a render melhor). A economia doméstica eu já faço, e tenho aprimorado minhas técnicas regularmente.

E vocês? Como lidam com finanças e investimentos?
Tem mais leitoras de humanas por aí? heheh

Beijos
Lele

Tags: ,

13 comentários em "Mulheres tem dificuldades com investimentos"

  1. Patricia disse:

    Queria o telefone das mulheres que dizem não conseguir seguir o orçamento. Seriam excelente analisandas, pacientes em potencial. Hehehehe. A dificuldade em se controlar está no que Freud já disse que é o “controle das pulsões”. Deixar de comprar para poupar, é se frustar. Muito. Principalmente, num universo cheio de ofertas, uma mais colorida que a outra. Sei bem como é isso porque me frusto todo vez em nome da economia, do planejamento financeira, da poupança. Mas só assim é que a gente consegue ter dinheiro para comprar o que desejamos. Parece incoerente, né?! Mas, nesses anos todos de controle rigoroso das finanças pessoais, conseguimos alcançar uma “liberdade” financeira e estar sempre com dinheiro. Pouco, mas sempre com. Nunca com dívidas. O tesouro direto, depois de anos de desejos, finalmente, é o próximo passo da nossa poupança. Adorei o post. bjs

    1. heheh complexo e contraditório mesmo
      Mas eu juro que estou conseguindo cada vez mais seguir, só nao me peça para controlar as contas do dia-a-dia
      hehe
      bjs

  2. Laiz disse:

    Adorei o post Helena!
    Também sou de humanas e tenho muita dificuldade com os números apesar de conseguir poupar e aplicar com certa frequencia (não a desejada rsrs)!

    1. heheh que bom que engrossamos a maioria
      mas a verdade é que seria bom entender um pouco mais ne?
      bjao

  3. Gabis Miranda disse:

    Não sou nada de exatas, mas cuido das minhas contas, me informo sobre investimentos, tenho alguns e Tb curto bolsa de valores.

    1. Que bom Gabis, eu preciso me envolver mais nisso!
      bjs

  4. Adri disse:

    Quem cuida dos números é o marido…..eu só gasto kkkkkkkk

  5. Tatiane disse:

    Sou péssima com orçamento, investimentos kkk, ainda bem que marido é ótimo nisso! Rsrs

    1. Melhor coisa ne Tatiane?
      Por aqui tb é com ele!
      bjs

  6. Não sou gastadeira, mas também não entendo nada de investimento! Às vezes, chego até a esquecer a senha do banco! hehehe
    Mas estou interessada em aprender. Vai mostrando pra gente o que fores descobrindo, Lele!
    Beijos

    1. Sou como você então Talita!! hehe
      Pode deixar que compartilho tudo aqui
      bjao

  7. Alê Nunes disse:

    Confesso que eu sou de exatas, mas tenho preguiça desse assunto, hehehe.
    Já fiz investimentos, inclusive em ações, mas ultimamente tenho sido da turma mais conservadora e deixado na poupança mesmo, vou ver se retomo meus investimentos :)
    bj,
    Alê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2019 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana