Papai Noel existe?

A medida que as crianças crescem algumas (muitas) coisas se transformam tais como a ingenuidade, a espontaneidade, a simplicidade do olhar… E, mais cedo ou mais tarde, querendo ou não, vou ser interpelada pela incômoda questão: “mãe, papai noel existe?”

Vou abrir meu coração e dizer que, realmente, não estou preparada mas sei que essa fase está acabando… a infância pura, lúdica, inocente está com os dias contados para a minha Isa que logo completará 6 anos. Espero conseguir fazer a do Otavio durar pelo menos o mesmo tempo que a dela já que terei os 2 em momentos diferentes logo mais.

Mas, voltando ao falado Papai Noel, fico aqui me perguntando sobre as possíveis respostas para essa pergunta e não chego a uma definitiva (e nem acho que precisamos). Assim como sugere o texto da Camila, li o artigo do sociólogo Gerard Bronner e tenho tentado internalizar (e acalmar) esse dilema da mentira com o mundo da fantasia.

Papai Noel existe?


fonte

Quem aqui não tem boas lembranças da infância? Eu tenho ÓTIMAS! Do Papai Noel, do Coelhinho da Páscoa, de muitos personagens que fizeram parte da minha vida e hoje são ótimas memórias. E tenho também a carinha de feliz dos meus sobrinhos guardada na memória, quando fazíamos o som do sininho do Papai Noel e eles corriam para vê-lo mas, como ele é muito rápido e já tinha ido embora deixando os presentes e muita felicidade.

Não serei eu a pessoa a quebrar esse encanto. Não acho justo. Eles são espertos, farão as conexões de forma natural e sem traumas (eu espero, heheh). Mas vou deixá-los viver o quanto quiserem essa ilusão boa que aquece o coração e faz a gente voltar a ser criança por uns momentos…

Beijos
Lele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2008-2020 © Eu e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana